Seja um corretor de imoveis

Entenda o que significam os termos Incorporação, Projeto, Construção e Comercialização no mercado imobiliário

  • 2 de abril de 2014
  • mercado
  • No Comments

Se você está em busca de um novo imóvel, provavelmente já observou, nos materiais de divulgação dos empreendimentos, os termos Incorporação, Projeto, Construção e Comercialização. Apesar de esses nomes parecerem autoexplicativos, eles guardam particularidades. Entenda o que cada um deles significa e saiba como podem afetar na qualidade do seu novo imóvel.

Incorporação: Também conhecido como realização, na prática o incorporador é quem viabiliza, administra e constrói ou promove a construção de edifícios ou um conjunto deles bem como sua comercialização.

Essa empresa comanda desde a pesquisa do melhor local e terreno para o empreendimento ao registro dele no cartório de registro de imóveis, com todas as suas especificações, da definição das áreas do projeto , ao seu memorial descritivo (material que contém todas as especificações do produto).

Quando um consumidor compra um imóvel o negócio é feito com a incorporadora, por isso é responsabilidade dela a entrega, dentro do prazo estipulado, preço e condições determinadas do futuro condomínio. Dada sua importância, a incorporação é regulamentada pelo Direito brasileiro ( lei 4.591, de 16 de dezembro de 1964 ).

São de responsabilidade da incorporadora também o projeto, construção e comercialização do empreendimento, entretanto ela pode contratar outras empresas para auxiliar nesses serviços.
Projeto: A empresa responsável pelo projeto responde pela arquitetura do empreendimento. Ela que desenha e define todos os espaços, das torres aos ambientes de lazer e todas as outras áreas do imóve, sempre de acordo com as especificações que a incorporadora solicita.

O conjunto do projeto arquitetônico é que será incorporado e registrado no cartório de registros de imóveis, por isso, geralmente, é a empresa responsável pelo projeto quem elabora o memorial descritivo do empreendimento.

Construção: A figura da construtora é a responsável pela execução da obra projetada e incorporada, sempre respeitando as especificações técnicas, o memorial descritivo e o prazo estabelecido contratualmente entre ela e a incorporadora.

Pelo trabalho rigoroso e ético que a construtora deve ter, muitas incorporadoras são suas próprias construtoras, ou no mesmo CNPJ ou com pessoas jurídicas distintas, mas com os mesmos donos e administradores.

Comercialização: A comercializadora é a empresa que vende as unidades autônomas do empreendimento. Aqui os papéis de destaque são das imobiliárias e dos corretores de imóveis que fazem a intermediação do negócio entre a incorporadora e o cliente final do produto. É interessante ressaltar que a comercialização do empreendimento pode ser feita a partir da planta, bastando apenas o registro do empreendimento no cartório de registro de imóveis.

São os responsáveis pela comercialização que apresentam o projeto, com suas vantagens e diferenciais, e negociam o valor e condições de pagamento da compra. Geralmente essas empresas também oferecem os serviços cartorários e despachantes para regularização do negócio e documentação do imóvel, além de orientações jurídicas e sobre a melhor forma de financiamento para o negócio em questão.

Agora que você já conhece todos os responsáveis pela efetivação da compra do seu imóvel pode fazer uma escolha mais tranquila, observando as empresas relacionadas no processo. Uma última dica é que os melhores empreendimentos são desenvolvidos por empresas que detêm toda a cadeia produtiva, da incorporação à venda dos imóveis.


como ser corretor de imoveis

Como ser corretor de imóveis

A carreira de corretor de imóveis oferece muito benefícios próprios das profissões liberais, tais como flexibilidade de horário, possibilidade de aumentar os rendimentos, dentre outros. Com o mercado imobiliário aquecido no país, é cada vez maior o número de pessoas interessadas em se tornar corretores, muitas vindas de outras profissões e em busca de uma melhor posição profissional.

Entretanto, muita gente não sabe o que fazer para se tornar um profissional de um dos Conselhos Regionais de Corretores de Imóveis (CRECI) do país. Por isso, reunimos as principais etapas que você deve seguir para que se torne um corretor de imóveis, veja abaixo.

corretor

A primeira é a formação. A profissão é regulamentada por lei específica (lei Nº 6.530/78 e Decreto Nº 81.8710/78), que exige o registro profissional no CRECI e só pode ser obtido após o futuro profissional do mercado imobiliário se formar em um dos cursos da área.

Os cursos aceitos pelos CRECI são tanto de nível técnico, como Técnico de Transação Imobiliária (com duração mínima de cerca de um ano), quanto de nível superior, como o tecnólogo em Gestão Imobiliária (duração de dois anos) ou bacharel em Ciências Imobiliárias (com duração de três a quatro anos). Apenas tome cuidado com a escolha da instituição de ensino, verifique se ela é reconhecida pelo MEC e pelo Conselho da sua região (geralmente os CRECI’s mantêm uma lista de instituições reconhecidas).

Feito o curso que forma o corretor imobiliário (ou durante ele), a segunda etapa é o estágio. Ele é obrigatório para obtenção do diploma de formação e de extrema importância para o profissional, já que é no estágio que será vivenciada a prática do mercado, aplicando-se os conceitos teóricos vistos em aula, com a vantagem de ser supervisionado por um corretor imobiliário mais experiente, que orientará e dará dicas para o futuro exercício da profissão.

Agora, com o diploma em mãos, vem a terceira e decisiva etapa, o registro no CRECI. O procedimento é simples: basta o candidato apresentar ao conselho de sua cidade toda a documentação exigida para o registro (incluindo o diploma de formação), a lista de documentos geralmente pode ser verificada nos sites dos conselhos.

Feito isso, é só esperar. A emissão do número de registro e carteira de identificação junto ao CRECI, que certificam e autorizam o exercício da profissão de corretor de imóveis, demora cerca de trinta a noventa dias para ser expedida. Sem essa carteira, o profissional não pode se identificar como corretor de imóveis, pois é com o registro do CRECI que ele pode desempenhar suas funções e, inclusive, ele é obrigado a utilizá-lo em todos os negócios e anúncios que fizer.

Seguindo essas etapas, você se tornará oficialmente um corretor de imóveis e poderá exercer sua profissão em variados espaços: trabalhar como profissional autônomo, em imobiliárias e construtoras/incorporadoras, como avaliador de imóveis em empresas de financiamento imobiliário ou mesmo abrir sua própria imobiliária.

corretor fechando venda

Particularmente tenho preferência de trabalhar com incorporadoras/construtoras, no momento sou corretor da Tibério construtora.  Optei por ela pela grande gama de empreendimentos, em diversas regiões e com alta qualidade na construção.